2016/12/06

Cipolla Colt (1975 / Realizador: Enzo G. Castellari)

Senhoras e senhores, damas e cavalheiros, preparem-se que isto vai dar molho! Enzo G. Castellari (realizador) e Franco Nero (ator) passaram-se completamente da mona! Só assim se explica a razão de terem feito este filme! Em 1975, os westerns-spaghetti violentos praticamente já não existiam e os westerns-spaghetti cómicos eram tão maus que até metiam dó! “Cipolla Colt” foi o primeiro western da parceria Castellari / Nero. Ambos sempre desvalorizaram este filme (claro, não são tolos!) alegando que era uma comédia dirigida às crianças e ao público mais jovem. O título deste filme em inglês é “Cry Onion”. É bastante adequado porque, de facto, isto dá realmente vontade de chorar! Em Portugal foi batizado de “O Cheiro Das Cebolas” mas até se podia chamar “A Revolta Das Cebolas”, “Bafo De Cebola” ou então “Excesso de Cebola Provoca Parvoíce Extrema” ou até mesmo “As Cebolas Fazem Bem à Saúde Mas Este Filme Não”!

Fazer cara de parvo é obrigatório neste filme!

Cebola Colt, um maltrapilho malcheiroso, viaja numa carroça carregada de cebolas. A carroça é puxada por Archibald, um cavalo muito esperto que tem um chapéu de palha na cabeça, que sabe assobiar e peida-se para afugentar os inimigos. Cebola Colt é um tipo que come cebolas como quem come maçãs. Manda um bafo que o pessoal até desmaia, espreme cebolas e bebe um nutritivo sumo de cebola tão forte capaz de derreter o copo! O tique que o homem tem no pescoço torna-o ainda mais esparvoado. Paradise City está repleta de torres e poços de petróleo. Ali, o ouro negro é rei e senhor. Os magnatas do petróleo, sediados em Austin, Texas, mandam a seu bel-prazer. Quem se atrever a levantar cabelo é pura e simplesmente eliminado. 

O sócio de quatro patas de Cebola Colt.

Foi o que aconteceu ao pai de dois miúdos que vivem no campo. Agora que são órfãos, vão receber a visita de Cebola Colt porque este acabou de comprar aqueles terrenos agrícolas. Cebola e as crianças vivem como querem: bebem vinho, fumam charutos, mantêm uma dieta equilibrada à base de cebola mas… os empresários do petróleo querem aquele terreno imediatamente. Dá-se então início a um conflito entre Cebola e o pessoal do petróleo, com o protagonista a demonstrar a sua perícia na arte de manejar as suas duas armas favoritas: a pistola e a cebola! Este distinto comedor de cebolas apaixona-se por uma mulher (e o seu amor é correspondido), com destaque para uma intensa conversa romântica entre ambos cujo tema é… as várias qualidades de cebola que há no mundo! Mas isto ainda não fica por aqui! 

Um parvalhão maneta.

O manda-chuva lá do sítio é um maneta que tem uma mão de chapa, o seu ajudante tem uma marrafinha e um bigode à Hitler, temos bicicletas e motas, trambolhões, chapadas (Cebola Colt transforma-se em Chapada Colt), perseguições em “fast-forward” ao estilo de Benny Hill e pontapés no cu à Charlie Chaplin. Guido e Maurizio de Angelis assinam o registo musical do filme e esta resenha chega ao fim porque já tenho lágrimas nos olhos com toda esta embrulhada!

9 comentários:

  1. A bem da verdade há que dizer que nem tudo é mau. A fotografia deste filme é muito bela e é da autoria de Alejandro Ulloa, que foi também diretor de fotografia em filmes como "Il Mercenario" e "Ammazzali Tutti e Torna Solo".

    ResponderEliminar
  2. Uma curiosidade: o conceituado ator americano Sterling Hayden participa neste filme porque naquela altura ele estava em Itália a trabalhar com Bernardo Bertolucci no grande épico "1900".
    Esta foi uma forma de ganhar mais uns trocos.

    ResponderEliminar
  3. A história do cinema está cheia de casos semelhantes, ou seja, atores que participaram em grandes filmes e logo de seguida fizeram filmes muito maus. E em alguns casos até ganhavam mais dinheiro nesses filmes rascos.
    Por exemplo, Franco Nero de certeza que recebeu honorários mais altos em "Cebola Colt" do que quando protagonizou "Django".

    ResponderEliminar
  4. Não me admiro. O que que parece descabido é ele suportar que o Cebola Colt é um grande filme, fá-lo na entrevista que aparece no DVD do Il Mercenario (Koch).

    ResponderEliminar
  5. Acho que ele apenas diz isso por amizade a Enzo Castellari.

    ResponderEliminar
  6. esse ainda não vi, mas assisti o trailer, e dei altas risadas com o pessoal desmaiando com o bafo de cebola do Cebola, agora como um cara com um bafo desses consegue uma namorada, só no cinema mesmo, kkkkkkkkkkkk

    ResponderEliminar
  7. O trailer explica tudo. Quem não tiver paciência para ver todo o filme, basta ver o trailer. :)

    ResponderEliminar
  8. Revi a pouco e quase resenhei no meu blog,tanto que gostei..pra mim um das poucas comédia western que se salva.Franco Nero provando mais uma vez que tinha versatilidade de sobra para encarar qualquer papel ao por do sol.

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails