2017/08/08

Lo straniero di silenzio (1969 / Realizador: Luigi Vanzi)

Nas montanhas geladas do Klondike, nos Estados Unidos da América, o nosso bem conhecido Stranger encontra um homem moribundo. O indivíduo, de nacionalidade japonesa, revela-lhe um segredo sobre uma fortuna em dinheiro e dá-lhe um pequeno pergaminho antes de morrer. Sem hesitar, Stranger viaja imediatamente para o Japão em busca dessa bendita fortuna. Chega ao país do sol nascente, cedo se apercebe que o modo de vida e a cultura do país é muito diferente dos costumes ocidentais e rapidamente arranja confusão com os nativos. Uma miúda japonesa ajuda-o como tradutora, deixando bem claro que o americano pretende trocar o pergaminho por dinheiro. Mas aquela zona vive tempos turbulentos, há uma guerra violenta entre clãs e aquele pergaminho desperta a cobiça de pessoas importantes.

Uma metralhadora de pôr os olhos em bico!

Chegado a uma aldeia, Stranger vê um grupo de perigosos bandidos a exigirem o pagamento imediato de impostos aos habitantes. Os que não pagam são executados. Stranger prefere fugir do que lutar mas não fica a salvo porque, após várias tentativas de assassinato (inclusive mulheres com facas dentro da sauna) e após as habituais sovas e humilhações (até o põem pendurado como espantalho), o homem encontra dentro de um baú um antigo arcabuz capaz de fazer estragos consideráveis em todos aqueles que o chatearam! Este é o terceiro filme da saga “Stranger”, protagonizada pelo ator americano Tony Anthony e dirigida por Luigi Vanzi (pseudónimo Vance Lewis).

Stranger leva na trombra, de novo!

Na minha opinião, os filmes foram perdendo gás à medida que foram aparecendo: o primeiro filme é bom, o segundo já não é tão bom, este terceiro registo é pior que os anteriores. Em jeito de conclusão, e no meio de tantas espadas afiadas, “senseis”, “dojos” e samurais gordos, magros, barbudos, altos, baixos e anões, fica registada a melhor frase de todo o filme: “Há apenas duas certezas na vida: a morte e os impostos”.

5 comentários:

  1. Todo o filme foi, de facto, filmado no Japão à exceção das primeiras cenas no Klondike.
    Devido a conflitos entre os estúdios americanos da MGM e o produtor Allen Klein, o filme só estreou em 1975 nos Estados Unidos.

    ResponderEliminar
  2. Vi uma vez só pela curiosidade de conferir os filmes todos da saga. Não gostei. Talvez o segundo seja o meu favorito.

    ResponderEliminar
  3. Já tenho preparada a resenha do quarto e último filme da saga, "Get Mean", mas só verá a luz do dia em 2018.

    ResponderEliminar
  4. Gosto de todos da série "the stranger",inclusive o "Get mean!" que é o mais doido de todos. O choque cultural nos dois últimos é inevitável. Mas o meu preferido continua sendo o primeiro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo contigo, Flávio. O primeiro filme também é o meu preferido da saga.

      Eliminar

Related Posts with Thumbnails